quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Há muitos anos que não vinha a Salvaterra no mês de Dezembro, desde que meus avós eram vivos…
Faz cá tanto frio, mas este fim-de-semana amenizou, e tivemos dois dias lindos.
Chegámos à vila na Sexta-feira já de noite, e logo à entrada fomos recebidos com as Boas Festas.
Ao chegar ao adro, apesar da tradição já não ser o que era, e na falta do madeiro, que costumava chegar sempre no dia 8 de Dezembro, temos também a Igreja Matriz e a capela da misericórdia iluminadas, como que prontas para a missa do galo do dia 24.
Ao chegar a casa esperava-nos uma braseira quentinha, e o abraço ainda mais quente de meus pais, que já não via há umas semanas.
Perguntei-lhes, então, pelo madeiro. A resposta foi: “nesta altura não há cá quase ninguém, e só já vão buscar o madeiro mesmo na véspera de Natal, para que passe toda a noite aceso, e possa aquecer os corações de quem ainda regressa à vila para a missa do galo”…
A tradição de outrora foi-se…
No dia seguinte acordei às 7:00h, e escusado será dizer que não voltei a adormecer.
Abri a janela e a neblina estendia-se pelos campos a perder de vista. Há uns anos que não via assim Salvaterra. Dizem meus pais que na semana passada o frio foi tanto, que cobriu de neve as serras à volta, tornando ainda mais bonita a paisagem. Só que a neve não aguentou até nós chegarmos, pois a chuva que veio depois, derreteu-a toda.
Oh, que pena não ter podido ver! - pensei eu.
Começa então a nascer o Sol, e ao olhar para o recinto do bodo, vejo carros a chegar.
Ah! Afinal ainda há gente mais madrugadora que eu: os caçadores, que pelos vistos vêm todos os fins-de-semana, para infelicidade dos animais que com eles se cruzam…
O Sol começa agora a nascer e começam a acordar as aves, cujos piares se misturam a meus ouvidos, não os conseguindo identificar.
Enquanto todos em casa ainda dormem, vou dar uma volta… O frio é muito, mas a vontade de rever Salvaterra é maior, e assim, faço-me ao caminho…
Os campos estão lindíssimos nesta época, se bem que os campos na Primavera também sejam bonitos, nesta altura estão mais verdes que nunca… Cheira a natureza húmida, as árvores estão quase despidas, nas oliveiras a azeitona “já está preta”, há musgo por todo o lado, e até nas fendas das rochas nascem plantas... Os cogumelos fazem agora a sua aparição... O frio é cortante, mas a alegria de andar por estes campos é maior. Lá em baixo, o rio vai cheio; tão cheio que passa por cima da ponte, interditando o trânsito…
Adoro os tons verdes, castanhos e dourados, com que a natureza se vestiu.
Lá em cima, as águias vigiam silenciosas…
A chuva foi tanta nos últimos dias que formou riachos por todo o lado.
Ah, como está linda Salvaterra…
Passámos dois dias em paz e sossego, e principalmente, junto de quem mais amamos…
Só é pena que Salvaterra esteja tão deserta; só é pena que já não haja quem faça cumprir as tradições…
Restam-nos as recordações de outros tempos…
À noite refastelámo-nos com castanhas assadas na braseira. Pensei que iam sair de lá todas queimadas, mas não… Fizemos como se fazia antigamente: dá-se uns golpes à castanha, abre-se uma covinha no meio das brasas, onde metemos a castanha, e tapamos com as cinzas. Nem sequer faz fumo e saem de lá bem assadinhas. Uma delícia…
A braseira aquece-nos o corpo, e o estarmos juntos, aquece-nos o coração…
Desejo a todos vós, que tendes paciência para me ler até ao fim, que também esta época tão especial aqueça os vossos corações, e assim os mantenha o resto do ano…
Boas Festas!

11 comentários:

ANTÓNIO RESENDE disse...

Olá caríssima Cristina
Que se passa com o seu blog que está ''desfigurado''?

Por norma não envio nem respondo a ''votos festivos''.

Mas... abro uma excepção para responder ao seu simpático desejo de
''Que tenha muita felicidade, paz, alegria, harmonia, amizade, amor, saúde e sonhos realizados…
Boas Festas!''

Felizmente tenho tido de tudo um pouco... só não realizo mais ''sonhos'' por razões financeiro/económicas...

Bem haja.

Retribuo os votos formulados.

O meu abraço

António Resende

Luis Antunes disse...

Será que esta aldeia perdida por entre os montes não ficará situada ali mesmo entre Segura e Monfortinho?
mesmo mesmo á beirinha da noss vizinha Espanha?
Salvaterra do Extremo é uma aldeia realmente vistosa lá no pequeno monte .
Gostei de passar por aqui e voltarei concerteza
abraço

José disse...

Sinto que o Natal, está cada vez mais frio, e húmido de esperança.

Aos amigos de Portugal
filhos deste nobre povo
desejo-vos um feliz Natal
e um prospero Ano Novo

A todos muito obrigado
por terem estado comigo
foi um ano bem passado
minha amiga e meu amigo

Espero contar consigo
neste ano que vem já ai
é um prazer amiga e amigo
eu estarei sempre por aqui


um beijinho,
José.

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Amiga eu teria muito gosto em ler seus postes para assim os poder comentar, mas confesso e peço desculpa não consigo ler nada nem com os óculos.
O fundo com as letras minúsculas não deixam que se leia, mesmo assim agradeço de coração a sua visita e lhe desejo um Santo e feliz natal

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Minha querida aqui estou eu de novo e desta vez a comentar já podendo ler sua postagem, que é muito linda, só fiquei um pouco indecisa porque não sei bem a que Salvaterra se refere. Pois esta que fica aqui perto de mim é Salvaterra de Magos mas com serras e neve de certo que não se trata da mesma. A sua deve de ser mais a norte, mas de qualquer modo as tradições a maior parte delas são sempre lindas excepto as de morte de toiros que eu simplesmente abomino.
Também quero dizer que estou a comentar do blog. do meu marido que são os meus favos de mel, desejo de coração que tenha um lindo e Santo natal, com tudo de bom e o carinhos dos seus pais.
Beijinhos de luz e muita paz.

Cristina disse...

Amigo António, e amiga Franciete, penso que agora já conseguirão visualizar o meu blog, pois mudei-lhe as configurações.
Franciete e Luís Antunes, esta Salvaterra é de facto a que fica entre Segura e as Termas de Monfortinho. É uma vila muito bonita, cheia de História, e que merece bem uma visita, principalmente de quem não conhece.
É verdade amigo José, o Inverno está cada vez mais frio, a todos os níveis. Mas haja paz, amor e saúde, e logo haverá mais calor, pelo menos, em nossos lares…
Querida Franciete, agradeço os votos calorosos de Feliz Natal, e retribuo-lhe em dobro os mesmos.
A todos, UM FELIZ NATAL, e já agora BOM ANO NOVO…

João Celorico disse...

Esta noite, junto aos seus,
tenha Alegria, Paz e Amor!
Vai nascer o Menino Deus,
Jesus Cristo, o Salvador!

João Celorico

João Celorico disse...

Olá, Cristina!

Cumpre-me, vir aqui, desejar
além de Paz, Saúde e Amizade!
Que o 2011, que está a chegar,
lhe traga Dinheiro e Felicidade!

Abraço,
João Celorico

Anónimo disse...

Mais um ano que caminhamos juntos vai chegando ao fim. Procuro no meu coração as palavras e não sei se encontro.
Eu queria fazer um resumo do ano que passou, mas não acho que tenha sido um ano particular, apenas a continuidade dos tantos outros, onde vemos, infelizmente, que a humanidade caminha para a direção contrária: muitas coisas que antes nos surpreendiam começam a ser "naturais" pois o mundo evoluiu.
Vemos que muitos valores foram invertidos: o que é anormal, tornou-se comum; o que é imoral, tornou-se corriqueiro; a violência nos revolta, mas não nos impede de dormir; antes, compreendíamos nossos pais com um simples olhar, hoje tudo é diferente.
Muitas pessoas procuram a profissão onde vão ganhar mais e poucos são os que ainda fazem alguma coisa por paixão. É isso...
Falta paixão no mundo! O materialismo tomou conta de muitas coisas e muito poucos são os que ainda abraçam uma causa e seriam capazes de dar tudo por ela. O "eu" tornou-se rei e como há muitos eus espalhados pelo mundo, há muitos reis também, que pensam-se poderosos e acima de tudo. E ninguém está acima de tudo enquanto os homens não conseguirem controlar o mar e o tempo.
Nada no mundo se compara à paz de espírito, ao sentimento de ter feito o bem, ao conforto de olhar nos olhos dos que precisaram de alguém e conseguiram encontrar uma presença.
O que o mundo precisa é disso: a paz, que só encontramos quando nosso coração se sente saciado e um coração precisa de amor para se alimentar.
Se tiver que deixar uma mensagem a vocês, deixo esta aqui:
não desacreditem na vida, nem no bem, nem na força do bem...
Cultivem o amor, a paz, a alegria, o sorriso e tratem as pessoas com o mesmo respeito, amor, compreensão, como gostariam de ser tratados.
Muitos são os que avistam a porta do paraíso, mas, creiam, só as pessoas especiais são capazes de passar por ela.
Com muito amor, tenham um ano de paz, de muita luz!


FELIZ ANO 2011
Ana Bernardo

Cristina disse...

Olá amigo João,

Pois, eu venho aqui retribuir,
Todos os votos de felicidade,
Que este Ano Novo lhe traga
O dobro da sua bondade.

Paz, saúde e amizade,
Felicidade e algum dinheiro
Acrescento “amor” de sobra
Pois com ele, se vive por inteiro.

Um muito Feliz 2011…

Cristina disse...

Querida amiga Ana,
O tempo passa, o mundo evolui, mas infelizmente nem sempre para melhor. Também me preocupa o Mundo em que meu filho crescerá e viverá como adulto. Tento transmitir-lhe os valores que me transmitiram a mim, mas só a ele caberá escolher os seus caminhos…
Obrigada pela linda mensagem que me deixou. Está lá tudo dito.
O que nos faz continuar é mesmo o “não desacreditar na vida, nem no bem, nem na força do bem... “
Minha amiga, para si também um ano cheio de Luz, muita Paz, saúde, alegria e muito amor…
Beijos,
Feliz 2011!